google-site-verification=0JYI1d-d14OpUVr1E6zaPhdaSX5FEgFGg3ThSj-5cGc
top of page

A IMPORTÂNCIA DA PSICOMOTRICIDADE NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO


O desenvolvimento psicomotor torna-se importante no processo de alfabetização e é essencial na prevenção de problemas de aprendizagem, como a má concentração, confusão no reconhecimento das palavras, confusão com as letras e sílabas e outras dificuldades relacionadas à alfabetização.


A grafia assume um lugar de grande importância no desenvolvimento da criança e do processo de Alfabetização. Segundo Le Boulch, "a evolução do grafismo está relacionada com a evolução perceptiva e com a compreensão da atividade simbólica. E, então os processos registrados nesse estágio fazem com que a criança seja capaz de representar, através de signos convencionais, formas geométricas, letras e de avançar na construção gráfica, viabilizando o processo de aquisição da linguagem escrita" (LE BOULCH, 1982, apud Porto et al., 1999, p. 120)


As crianças iniciam a escrita com garatujas; com o passar do tempo e com os estímulos adequados, desenvolvem a coordenação motora necessária, possibilitando o processo de grafismo. Outro aspecto importante sobre a aquisição da linguagem escrita é o contexto social em que ela está inserida - entre a interação de adultos com crianças se constroem concepções de escrita e suas funções, pois através da socialização, o indivíduo encontra o significado deste processo.


O lúdico, o corpo e os movimentos são de grande relevância no processo de ensino e aprendizagem; portanto, os professores e a escola precisam adaptar seus planejamentos de acordo com as necessidades motoras, analisando cada criança, por esta ser um ser subjetivo, e que independentemente das fases do desenvolvimento estudados e propostos pela ciência; cada criança se desenvolve no seu tempo.


O professor alfabetizador precisa estar atento, pois o corpo e a mente são indissociáveis para o processo de aquisição da leitura e da escrita, sendo necessário promover atividades psicomotoras que despertem no aluno a curiosidade e o gosto pela leitura. Dessa forma, os jogos tornaram-se ferramentas indispensáveis para pesquisadores, professores e psicólogos com grande relevância na prática e no desenvolvimento psicomotor das crianças.


O Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil aponta que

os jogos de construção e aqueles que possuem regras, como os jogos de sociedade (também chamados de jogos de tabuleiro), jogos tradicionais, didáticos, corporais etc., propiciam a ampliação dos conhecimentos infantis por meio da atividade lúdica. É o adulto, na figura do professor, portanto, que, na instituição infantil, ajuda a estruturar o campo das brincadeiras na vida das crianças. Consequentemente é ele que organiza sua base estrutural, por meio da oferta de determinados objetos, fantasias, brinquedos ou jogos, da delimitação e arranjo dos espaços e do tempo para brincar (Brasil, 1998, p. 28).


Os jogos permitem que esse desenvolvimento da aprendizagem ocorra de forma lúdica, e várias atividades podem ser utilizadas, como bingo, jogo da memória, quebra-cabeças, dominó, boliche, alfabeto móvel, atividades de alinhavo, entre outros. Essas atividades que, para as crianças, tem o atrativo de brincadeiras, na psicomotricidade, são ferramentas que auxiliam no desenvolvimento intelectual.

Com a utilização dos jogos e brincadeiras, o professor faz com que seu aluno se desenvolva de forma coletiva e individual, identificando suas capacidades em aspectos como cognição, linguagem, motricidade, capacidades sociais e afetivas.


Ainda levando em conta o brincar no desenvolvimento psicomotor, é possível citar a BNCC com os seis direitos de aprendizagem e desenvolvimento, que são: conviver, brincar, participar, explorar, expressar, conhece-se; e o brincar está interligado com os demais. O brincar está inserido e torna-se um direito primordial na aprendizagem da criança.


A Psicomotricidade está incluída como papel primordial na alfabetização e, através dela, as crianças conseguem o domínio do corpo e da escrita; portanto, alfabetizá-las com a valorização da psicomotricidade traz grandes benefícios para toda a vida escolar do aluno.


Texto retirado do artigo: GOMES, Vanessa Souza do Sacramento; COSTA, Elizete Brito da Silva; BARROS,

Claudia Araujo Urbano. Alfabetização e Psicomotricidade: uma aliança pelo pleno desenvolvimento da criança. Revista Educação Pública, v. 20, nº 45, 24 de novembro de 2020. Disponível em: https://educacaopublica.cecierj.edu.br/artigos/20/45/alfabetizacao-e-psicomotricidade-uma-alianca-pelo-pleno-desenvolvimento-da-crianca

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page